Sérgio Portfólio Sérgio Felipe de Oliveira

Consciência e espiritualidade na prevenção ao suicídio

Para marcar o encerramento da campanha “Setembro Amarelo”, que tem por objetivo alertar sobre os altos índices de suicídio e formas de prevenção, participei nesse domingo, dia 30 de setembro, do 1º Encontro sobre Consciência e Espiritualidade em Florianópolis, Santa Catarina. Organizado pela Bodhigaya, o encontro contou também com a presença dos meus colegas, a líder zen budista, monja Coen, e Carlos Martins, do Instituto Essenz.

Falei sobre “Consciência, ciência, espiritualidade, fé e cura”; a monja Coen discorreu sobre a “Consciência , presença ativa e estado de felicidade”, e o meu colega Carlos Martins, falou sobre a “Meditação – Encontrar em si o caminho da cura”. Três importantes temas que nos alertam e nos mostram que há saídas para o desânimo, a tristeza, antes que de se chegar a depressão, e ao suicídio.

Vivemos num mundo de grandes transformações, conflitos e desigualdades de todas as formas. As pessoas param de acreditar em si e no convívio com o outro, e cada vez mais vão se isolando, caminhando para “realidades virtuais”. Aos poucos vão caindo em depressão, desespero e não enxergam mais saídas para sua dor.

Hoje, os índices de suicídio são assustadores. A cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo. No Brasil, este número é de um a cada 30 minutos. E este grave problema já chegou aos nossos jovens e crianças. Já está comprovado pela medicina, que 98% das pessoas que se suicidam tinham problemas psiquiátricos e psicológicos. Algo urgente precisa ser feito, é necessário mudar o paradigma dos tratamentos e nos antecipar.

No ano passado, a Associação Mundial de Psiquiatria lançou uma carta reconhecendo que o médico deve investigar também a questão espiritual em seu paciente. Precisamos construir modelos de atuação integrativa em Medicina agregando a questão espiritual.

Em 1990, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou a chamada “Carta de Otawa”, na qual afirma que não é só o tratamento da doença, não é somente prevenção da saúde, mas que precisamos principalmente da promoção da saúde, que envolve a questão bio-psico-social-ambiental-funcional e espiritual do ser. E a carta, diz também que cabe a todo cidadão, de qualquer profissão ou condição promover a saúde.

Por isso, a importância de eventos como este organizado pelo Bodhigaya para a discussão do assunto e divulgação de que existem saídas, existe prevenção. Agradeço as todos que compareceram, à Cleoci Machado, fundadora da Bodhigaya, pelo convite e oportunidade,  e também à monja Coen e ao Carlos Martins pela parceria.  Gratidão!